Lar Casa Bela

Acolhimento Institucional

Confira todos os serviços e projetos do Lar Casa Bela:

Serviços de acolhimento

Acolhimento Institucional e Familiar na modalidade de Casa Lar, de crianças e adolescentes de 0 a 18 anos, que tiveram os seus direitos básicos ameaçados e/ou violados.

Acolhimento (chegada) – realizado por psicólogo e assistente social. É realizado o primeiro atendimento com a criança para levantamento de suas expectativas e demandas, apresentação da casa, dos acolhidos e da equipe.
Encaminhamento e acompanhamento para os serviços da rede de proteção, saúde, educação, assistência social e outras atividades ocupacionais fora da instituição.
Elaboração do PIA (Plano Individual de Atendimento) e envio periódico das atualizações.
Atividades de vida diária (cultural, lazer, esportes, entre outros).
Escuta ativa – atendimento psicossocial, realizado por psicólogo e assistente social.
Visitas domiciliares e atendimentos técnicos.
Visitas familiares – o trabalho proporciona convivência e fortalecimento de vínculos através de visitas semanais (três vezes por semana) com supervisão da equipe técnica e/ou funcionários. Durante as visitas, são feitas orientações aos familiares sobre cuidados com a criança e/ou adolescente. A instituição prioriza o fortalecimento de vínculos, ofertando flexibilidade nos dias/horários (dias de semana e finais de semana), visando maior adesão das famílias.
Desacolhimento institucional gradativo diante do possível retorno à família de origem/extensa ou encaminhamento para família substituta. É realizada a despedida necessária do ambiente, colegas, cuidadoras, voluntários e de todos os demais envolvidos no acolhimento.
Atendimento familiar individual: atendimento psicossocial individual de familiares e/ou responsáveis de crianças e adolescentes acolhidos para levantamento/acompanhamento de suas demandas, encaminhamentos à rede de atendimento (saúde, educação, cultura, assistência social).
Convivência e Fortalecimento de Vínculos Familiares e Comunitários: o trabalho proporciona convivência e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários através de passeios para lazer e atividades em geral com a família/padrinhos afetivos/voluntários, sempre com respaldo da equipe técnica.
Caminhadas diárias: visando o bem-estar/saúde dos acolhidos, além do fortalecimento de vínculo com funcionários, as crianças e adolescentes realizam passeios pelo bairro, ao ar livre e devidos cuidados.
Psicoterapia: os técnicos da instituição realizam a busca ativa de profissionais para acompanharem os acolhidos do Lar Casa Bela. Através de supervisão, o psicólogo institucional acompanha os casos que são realizados dentro e fora do serviço.
Assembleia: mediação de assembleia para ouvir as crianças e adolescentes, levantar questões e dificuldades de convivência interna, conflitos, reflexões, elaborar soluções em conjunto, entre outros. Serão propostas auto avaliações dos acolhidos, pontos e metas que podem ser melhorados e desenvolvidos. É realizado em forma de círculo com um bastão da fala.
Atendimentos pedagógicos: visa compreender o aprendizado de cada acolhido, investiga as causas de baixo rendimento escolar, trajetória de vida, reconhece e diagnostica as alterações e transtornos na aprendizagem, realiza e elabora intervenções e estratégias junto a escola visando o bem-estar emocional, social e pedagógico do atendido, desenvolve ações preventivas relacionadas à aprendizagem, promove orientação vocacional, processo de aprendizagem do atendido, metodologias adequadas ao perfil do atendido.
Registros de vida: Através de formações do Instituto Fazendo História, a equipe técnica supervisiona a atividade “Fazendo a Minha História”. Cada acolhido do Lar Casa Bela possui um voluntário de Referência que semanalmente executa a atividade, materializando a história de cada um em páginas de um album de fotografias que contém fotos, desenhos e histórias do período de acolhimento, inclusive registros sobre sua história de vida anterior ao acolhimento e perspectivas de futuro. Quando a criança é desacolhida, leva consigo o álbum produzido para que possa acessar suas memórias da infância/adolescência.
Discussões de casos com a equipe técnica do serviço de acolhimento: realizadas reuniões semanais nas quais são discutidos os casos e o desenvolvimento dos projetos institucionais.
Acolhimento (chegada) – realizado por psicólogo e assistente social. É realizado o primeiro atendimento com a criança para levantamento de suas expectativas e demandas, apresentação da casa, dos acolhidos e da equipe.
Encaminhamento e acompanhamento para os serviços da rede de proteção, saúde, educação, assistência social e outras atividades ocupacionais fora da instituição.
Elaboração do PIA (Plano Individual de Atendimento) e envio periódico das atualizações.
Atividades de vida diária (cultural, lazer, esportes, entre outros).
Escuta ativa – atendimento psicossocial, realizado por psicólogo e assistente social.
Visitas domiciliares e atendimentos técnicos.
Visitas familiares – o trabalho proporciona convivência e fortalecimento de vínculos através de visitas semanais (três vezes por semana) com supervisão da equipe técnica e/ou funcionários. Durante as visitas, são feitas orientações aos familiares sobre cuidados com a criança e/ou adolescente. A instituição prioriza o fortalecimento de vínculos, ofertando flexibilidade nos dias/horários (dias de semana e finais de semana), visando maior adesão das famílias.
Desacolhimento institucional gradativo diante do possível retorno à família de origem/extensa ou encaminhamento para família substituta. É realizada a despedida necessária do ambiente, colegas, cuidadoras, voluntários e de todos os demais envolvidos no acolhimento.
Atendimento familiar individual: atendimento psicossocial individual de familiares e/ou responsáveis de crianças e adolescentes acolhidos para levantamento/acompanhamento de suas demandas, encaminhamentos à rede de atendimento (saúde, educação, cultura, assistência social).
Convivência e Fortalecimento de Vínculos Familiares e Comunitários: o trabalho proporciona convivência e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários através de passeios para lazer e atividades em geral com a família/padrinhos afetivos/voluntários, sempre com respaldo da equipe técnica.
Caminhadas diárias: visando o bem-estar/saúde dos acolhidos, além do fortalecimento de vínculo com funcionários, as crianças e adolescentes realizam passeios pelo bairro, ao ar livre e devidos cuidados.
Psicoterapia: os técnicos da instituição realizam a busca ativa de profissionais para acompanharem os acolhidos do Lar Casa Bela. Através de supervisão, o psicólogo institucional acompanha os casos que são realizados dentro e fora do serviço.
Assembleia: mediação de assembleia para ouvir as crianças e adolescentes, levantar questões e dificuldades de convivência interna, conflitos, reflexões, elaborar soluções em conjunto, entre outros. Serão propostas auto avaliações dos acolhidos, pontos e metas que podem ser melhorados e desenvolvidos. É realizado em forma de círculo com um bastão da fala.
Atendimentos pedagógicos: visa compreender o aprendizado de cada acolhido, investiga as causas de baixo rendimento escolar, trajetória de vida, reconhece e diagnostica as alterações e transtornos na aprendizagem, realiza e elabora intervenções e estratégias junto a escola visando o bem-estar emocional, social e pedagógico do atendido, desenvolve ações preventivas relacionadas à aprendizagem, promove orientação vocacional, processo de aprendizagem do atendido, metodologias adequadas ao perfil do atendido.
Registros de vida: Através de formações do Instituto Fazendo História, a equipe técnica supervisiona a atividade “Fazendo a Minha História”. Cada acolhido do Lar Casa Bela possui um voluntário de Referência que semanalmente executa a atividade, materializando a história de cada um em páginas de um album de fotografias que contém fotos, desenhos e histórias do período de acolhimento, inclusive registros sobre sua história de vida anterior ao acolhimento e perspectivas de futuro. Quando a criança é desacolhida, leva consigo o álbum produzido para que possa acessar suas memórias da infância/adolescência.
Discussões de casos com a equipe técnica do serviço de acolhimento: realizadas reuniões semanais nas quais são discutidos os casos e o desenvolvimento dos projetos institucionais.